Falando de Pesca »

44- Falando de Segurança na Pesca Embarcada-I {241}

17 de novembro de 2016 – 16:46 | 158 views

44. FALANDO DE PESCA-26- Cuidados na Pescaria
44.26.241. S- PESCA EMBARCADA SEGURA -I
Na pesca embarcada, seja ela em barco pequeno ou de grande porte deve ser feita de forma segura e consciente. Existem vários detalhes que (…)

Leia a história completa »
Blog
Além da Pesca
iniciantes
Notícias de Pesca
Peixes

Blog »

B.19- Falando de Conhaque [B.02]

15 de novembro de 2016 – 20:26 | 66 views

B.59.00- Alem da Pesca – B.19-Curiosidade

B.59.19.02.B-CONHECEMDO UM POUCO DE UMA BELA BEBIDA

Conhaque , brandy ou brande , preservando a qualidade de sua origem, qualquer um dos nomes, nos levará a um destilado de ótimo sabor, (…)

A destilação do vinho que deu origem ao conhaque ou cognac, como preferir, esse processo é originário da região do Charente no sul da França no século XVII na vila Conhaque.

Ainda sem nome, entre os anos de 1718 e 1736, foram exportados do porto de La Rochelle para todos os continentes do mundo 493.000 barris do vinho, porém só no ano de 1783 foi que o nome conhaque começou a ser usado para esse tipo de destilação secundária do suco de uva, descoberto por Chevallier de la Croix-Marrons.

Conhaque, brandy ou brande, como é conhecido, é a bebida resultante da destilação do vinho ou de suco de fruta fermentado, geralmente contendo entre 40 e 60% de graduação alcoólica por volume.

Foi justamente na França, que surgiu a bebida, conhecida pelos espanhóis como “El sol embotellado”. Ali se produzia um vinho inferior, branco e de graduação alcoólica muito baixa, reverenciado na Grã Bretanha e região.

Contudo, os produtores do vinho à época lidavam com dois problemas na produção: ele era muito delicado, se deteriorava rapidamente e também as taxas pesadas que o governo francês aplicava sobre as bebidas exportadas. Para driblar tais dificuldades, alguns vinicultores decidiram destilar uma parte do vinho. O álcool obtido, de alta graduação, muito concentrado, seria exportado e o consumidor acrescentaria água, obtendo um novo vinho.

O concentrado também poderia ser utilizado no aumento da graduação alcoólica do vinho branco comum. entretanto, a ideia não deu muito certo. Então uma parte desse álcool não foi exportado, nem incorporado ao vinho. Simplesmente ficou encostado, envelhecendo nos barris de carvalho. Com o passar do tempo, essa bebida adquiriu uma cor caramelo e perdeu muito do seu ardor.

      Nasceu assim o Conhaque, cujas melhores marcas são produzidas, justamente, em Conhaque, na região de Charente. E como exemplo de grandes casas produtoras temos Remy Martin , Martell , Henessy e Courvoiser.

          Processo de Produção

Assim como outras bebidas, a produção do conhaque começa nos vinhedos. Trata-se fundamentalmente, de videiras da variedade Ugani Blanc instaladas sobre o terreno de calcário na região de Charente que , segundo os experts no assunto , dão á fruta muito seu sabor peculiar.

Depois de colhida a fruta, inicia-se o processo de vinificação, através do qual é extraído um vinho ácido e de teor de baixo teor alcoólico. No entanto, os charentinos á descobriram que destilando duas vezes esse produto, ou seja, levando o vinho à ebulição e recuperando a parte da bebida com maior proporção de álcool, seria possível conseguir uma aguardente deliciosa. Uma vez obtido o “eau de vin”, o produto fica em repouso em barris de carvalho por anos e anos.

       Depois desse período de hibernação, o chefe da casa de conhaque dispõe da matéria-prima necessária para elaborar seus cortes (mesclas), para o que irá se transformar em aguardentes de diferentes idades. Em geral, trata-se de privilegiar a consistência de cada marca (ou seja, que as características de cada rótulo sejam mantidas através do tempo).

As casas mais reputadas utilizam aguardentes mais antigas, inclusive as gamas intermediárias. Para não mencionar os casos verdadeiramente excepcionais nos quais são utilizadas aguardentes de um século de hibernação, mas já estamos falando do segmento mais caro de conhaque.

As distinções de idades mais frequentes são as seguintes:

. VS (Very Special), Trois Étoiles (Três Estrelas) ou Compte 2: “el eau de vie” mais jovem, tem dois ou mais anos no barril.

. VSOP (Very Special Old Pale), Reserva ou Compte 4: mínimo de quatro anos de madeira.

. X.O, Napoléon, Hors d¿Age, Compte 6: mínimo de seis anos.

Muitos países souberam desenvolver bebidas de qualidade. Sem ir muito longe, a Espanha produz Brandies que podem jogar nas ligas mais competitivas. Entretanto, ninguém como os franceses souber codificar,

Dificuldades da Produção

O que diferencia um conhaque de outro é justamente o tempo que ele fica nos barris de carvalho, já que como se sabe, ele não continua sua evolução na garrafa. Existem produtores que hoje tem conhaque em barris há mais de 190 anos, como dizem , é verdadeiro “ouro líquido”.

E é por isso que os especialistas hoje explicam que embora o negócio seja lucrativo para quem esta nele há muito tempo, para os novatos não compensa para o investimento.

      Afinal, a produção demora décadas, é difícil e caríssima. Apenas para citar um exemplo , a Casa Delamain , um das destilarias  mais antigas do mundo , produz por ano o equivalente ao que o líder de mercado produz em dois dias . Já a Hennessy, numero um do ranking e que funciona desde 1765, vende 50 milhões de unidades no mundo todo. A cifra equivale a um terço das garrafas desse destilado comercializadas por ano e à  soma das vendidas pelas casas Martel Rémy Matin e Couvoisier.

      Não é á toa que o conhaque hoje é tão apreciado no mundo todo, por ser sinônimo de sofisticação e bom gosto. O preço de uma garrafa não é nada convidativo. Mesmo assim o grande escritor Victor Hugo o chamava de “néctar dos deuses”.

È uma bebida para ser degustada pura, após as refeições, como digestiva, embora haja quem o aprecie, nas mais variadas ocasiões.

Convém lembrar, na hora de comprar uma garrafa desse “ouro liquido”, que desde 1909, por lei, só se pode chamar de conhaque a bebida produzida na região de Conhaque, que abrange as cidades de Saintes e La Rochele. Sendo que no Brasil o tradicional “DOMECQ” é definido como Coquetel Composto e o famoso espanhol “FUNDADOOR” da Casa Pedro Domecq é referenciado como Brandy de Jerez.

Depois desse pequeno texto, só resta dizer, saúde!! e, vamos desfrutar…

Fonte

.Site Vinhos Net

.Site Wine Brasil.

.R. Em Dia -175

.Falando de Pesca. Edit. Out./16

♣ O que você tem feito pelo planeta Terra??

 

47- Falando da Corvina de Água Doce {240}

25 de julho de 2016 – 18:41 | 181 views

48- PEIXES – 47- Pesca
48.47.38.S- CONHECENDO A CORVINA DE ÁGUA DOCE
Apesar da crença de parentesco com a corvina marinha, a única coisa em comum é a família, Plagioscion squamosissimus, (…)
A corvina de água doce (…)

21- Falando de Linhas – III {239}

14 de junho de 2016 – 19:42 | 579 views

4.00- DICAS UTEIS -21- Material de Pesca
 04.21.29.S- LINHAS – CONHECENDO UM POUCO 
 Não há com certeza, um único Pescador que não se aborreça ao perder um peixe, depois de fisgado, (…).
Dentro das possibilidades da perda do (…)

B- 18- Falando de Redes Sociais [B- 01]

3 de junho de 2016 – 18:50 | 216 views

B.59 – ALEM DA PESCA –B 18-
B.59.18.01. B– FAÇA O QUE EU DIGO – NÃO FAÇA O QUE EU FAÇO 

Pescador, todo cuidado é pouco com as redes de pesca, e com as redes sociais. (…)

48 – Falando da Juropoca {238}

18 de maio de 2016 – 21:24 | 156 views

48.00 – PEIXES – 47- Pesca
48.47.36. S- CONHECENDO A JUROPOCA
A Juropoca, peixe de água doce é um bagre de pequeno porte muito conhecido e apreciado por todos os Pescadores, (…)
Nome popular- Jurupoca, Jerepoca, Braço-de-moça, (…)

52 Falando de Molinete para Iniciantes-II- {296}

16 de fevereiro de 2016 – 18:25 | 294 views

52. INICIANTES - 21- MATERIAL DE PESCA
52.21.36.S-MOLINETE PARA INICIANTE- II
De um tempo para cá, Molinetes e Carretilhas são até chamados de “maquinas de pesca” e quem poderia dizer o contrario, (…)
Acessórios, componentes ou simplesmente “material de (…)

21- Falando de Varas para Iniciantes {295}

3 de fevereiro de 2016 – 18:14 | 322 views

52 – INICIANTES – 21- Material de Pesca
52.21. 35. S – VARAS – CONHECENDO UM POUCO-II
E pensar que tudo começou com um galho de arvore, que talvez nem fosse flexível, (…)
Dissertando
Parece que tudo (…)

26-Falando do Peixe Niquim – {293}

18 de janeiro de 2016 – 21:40 | 240 views

48- Peixes – 26- Cuidados na Pescaria
48.26.16. S- NIQUIM – O PEIXE VENENOSO
No Estado do Ceará, entre 1992 a 2002, 16 casos de envenenamento com o Thalassophyne nattereri, (…)
Tais fatos se passaram no litoral daquele (…)

48-Dourado do Prata & S. Francisco {287}

4 de outubro de 2015 – 16:25 | 383 views

48 – PEIXE – 47 – Pesca
  48-.48.36.S – UM POUCO DO DOURADO DO PRATA & S. FRANCISCO
O dourado  no geral, é um peixe de água doce, pertencente ao gênero Salminus. Faz parte de uma família (…)

19 – Será que os Peixes Dormem? {282}

2 de setembro de 2015 – 19:37 | 334 views

48- PEIXES – 19-Curiosidades
48.19.53.S- FALANDO DO SONO DOS PEIXES
Como não têm pálpebras, os peixes não podem fechar os olhos e seu período de descanso consiste num estado de imobilidade apenas aparente,(…)
Conhecendo
Os peixes são animais vertebrados, aquáticos, tipicamente (…)

47- Falando da Miraguaia – {279}

1 de agosto de 2015 – 20:30 | 615 views

48.00 – PEIXES – 47- Pesca
48.47.67. S- CONHECENDO A MIARAGUAIA
A miraguaia é um peixe costeiro também conhecido por piraúna e black drum, nos Estado Unidos. Os animais de sua família são capazes de produzir sons (…)