Falando de Pesca »

6 de novembro de 2019 – 18:15 | 117 views

48-Peixes – 44 – Falando de Pesca

48-66-S- CONHECENDO A PIRARARA
A Pirarara é um peixe que tem sua ocorrência nas bacias dos rios Araguaia – Tocantins e Amazônas, (…)

      Reino – Animalia  ; Filo - Chordata ;  Classe - (…)

Leia a história completa »
Blog
Além da Pesca
iniciantes
Notícias de Pesca
Peixes
Home » Peixes

30- Falando de Prejereba

Enviado por on 21 de agosto de 2013 – 18:33Nenhum Comentário | 30.316 views

48.00- PEIXES- 30 – Pesca no Mar

48.13. S- CONHECENDO A PREJEREBA 

Peixe esportivo, esperto e valente proporciona excelentes momentos de emoção da pesca no mar, (…)


Nome Popular – Prejereba/Tripletail 

Nome Científico -Lobotes surinamensis 

Família- Lobotidae 

Distribuição Geográfica – Regiões Norte, Nordeste, Sudeste e Sul (do Amapá ao Rio Grande do Sul)

Descrição

Peixe de escamas; corpo alto e comprimido; cabeça pequena, e nadadeiras dorsal e anal alongadas e arredondadas, quase atingindo o final da nadadeira caudal. Esta característica dá o nome em inglês tripletail, ou seja, cauda tripla. A coloração é marrom, com reflexos brancos ou cinza esverdeado. Alcança cerca de 80 cm de comprimento total e 15 kg.

Ecologia

Podem ser encontradas em todo o litoral brasileiro, desde o Estado do Amapá ao Rio Grande do Sul, em águas costeiras com temperatura em torno de 28ºC.

Frequenta as regiões de mar aberto com fundo rochoso, acompanha objetos a deriva e pode ser encontrado nas bocas de rios e manguezais. Peixe carnívoro se alimenta de pequenos peixes, crustáceos e da fauna acompanhante dos objetos a deriva, como sargaços, tábuas, boias, plataformas de petróleo, pedaços de isopor, pilares e outras estruturas passando despercebidas graças ao seu mimetismo.

Pode ser encontrado sozinho ou aos pares. Tem o costume de boiar na superfície. A carne é saborosa, mas raramente é encontrado nos mercados. É uma espécie importante para a pesca esportiva porque briga muito, chegando a saltar fora d’água.

O grande número de espécies esportivas encontradas no mar reservam gratas surpresas a qualquer Pescador, mas que, no entanto sempre possui suas preferências individuais e declaradas e outras nem tão declaradas assim, mas nem por isso menos cobiçada. É exatamente o que acontece em relação às prejerebas.

Quando encontramos um Pescador preparando sua tralha para fazer uma pescaria no mar, raramente, ouvimos a frase – “Vou pescar prejerebas”.

Entretanto, quase sempre é reservado um equipamento para a seguinte intenção. Quem sabe, pode “entrar” uma prejereba.

Afirmações desse tipo são realmente verídicas e é o que acontece diariamente nas traineiras fretadas por Pescadores esportistas, que costumam pescar no litoral de São Paulo, nas regiões do Guarujá, Ilhabela, Caraguatatuba e Ubatuba.

As afirmações anteriores têm sua razão de ser, pois a prejereba não é um peixe que aparece a todo instante e, se conseguirmos fisgar mais que duas num dia ou numa noite de pescaria, com certeza a pescaria foi muito boa, pois a prejereba é uma espécie que oferece grandes momentos de emoção.

Por sua força e valentia, não podemos deixar de sentir o quanto este peixe é valente. Com certeza, após o Pescador ter sua primeira experiência de ter na ponta da linha uma prejereba, suas expectativas a partir daí, estarão voltadas para as grandes tilápias do mar

     Hábitos

 Carnívoro, apresenta dentes pontiagudos e tem o hábito de se alimentar de pequenos peixes e crustáceos que encontra na flor d’água. Costuma boiar na superfície na maioria das vezes sozinhas ou em pares.

 Com hábitos diurnos e noturnos sua pesca é mais produtiva no verão. Estão aptos a se reproduzir após o primeiro ano de vida entre os meses de setembro e fevereiro.

 Como e Onde Vivem

A prejereba é uma espécie que pode ultrapassar os 20 kg de peso. No entanto, o mais comum é acharmos exemplares entre 3 kg e 16 kg. Peixe de escamas escuras e firmes, também exige cuidado no seu manuseio, pois as suas nadadeiras dorsal, peitoral e anal são providas de espinhos agudos e proeminentes.

A boca possui dentes pontiagudos e alimenta-se de pequenos peixes e crustáceos. Sua carne é branca e muito saborosa, sendo muito apreciada na boa culinária.

As prejerebas têm hábitos diurnos e noturnos e sua maior incidência se dá nos meses de águas mais quentes (de outubro a abril). Sua pescaria é feita na linha da costa até mais ou menos 15 milhas mar adentro.

Uma particularidade importante, a saber, a respeito da espécie é que elas costumam estar sempre onde houver alguma estrutura boiando, como capinzais, palhais, troncos, madeiras ou mesmo animais mortos.

Como Pescar

Pescadores que, navegando em águas limpas, ao avistarem algumas estruturas boiando, diminuem a velocidade, a fim de verificar se há alguma prejereba junto ao ponto. Em caso afirmativo, usam a técnica de fly.

Existe uma modalidade de pesca bem produtiva, que pode ser entendida da seguinte maneira:

: Na distância de mais ou menos cinco milhas da costa, deixe a embarcação à deriva, isto é, ao sabor dos ventos e das correntezas marítimas.

Equipamentos

: Varas - 1,80 m a 2,40 m de ação média-pesada, para linhas de 15 lb a 45 lb.

: Carretilha ou Molinete- de média capacidade, para comportar 150 m de linha 0,40 mm, com resistência de 11,2 kg ou 24,7 lb.

: Boia- média ou grande com girador triplo.

: Rabicho ou Pernada- deve ter um metro de linha 0,50 mm, com snap (grampo) atado na ponta.

: Anzol- tipo Maruseigo nº 26, usar encastoador de aço duro de 15 cm.

:Iscas- a mais produtiva é a sardinha cortada ao meio.

:Após o lançamento, solte a linha para que a isca boiada fique de 40 m para mais da embarcação. Essa técnica é importante pelo fato das prejerebas serem muito ariscas e ao subir para atacar a isca não se assustar com a embarcação.

: Há Pescadores que afirmam que essa pescaria é mais produtiva quando praticada à noite. Nesse caso, as únicas modificações que devem ser feitas é a troca das boias convencionais por boias luminosas e uma menor distância da isca, que pode ficar de 20 m a 30 m da embarcação.

: Como essa pescaria é do tipo de espera, sempre é bom verificar o estado das iscas. Existem muitos peixinhos que acabam por comê-las sem que possamos perceber a ação nas boias.

: Porém, quando é a prejereba que ataca a isca, é inconfundível, pois ela não faz cerimônia. Ataca com violência. A boia some e a linha estica. Nesse momento, a fisgada tem de ser firme e a fricção da carretilha ou molinete precisa estar ajustada, pois a prejereba vai tomar bastante linha.

: Briga forte à meia-água, mas às vezes sobe à tona fazendo rebojo bonito, que vale a pena curtir.

: Um comportamento comum na hora da briga é a fazer a volta em torno do barco, sempre tomando a linha e proporcionando vários minutos de muita emoção.

A prejereba é seguramente uma espécie de grande esportividade, assegurando muita emoção e fazendo jus a um lugar de honra no rol dos grandes peixes esportivos.

Fonte

.Pesca & Dicas

.Site – snookfishing 

.Falando de Pesca- Edit. Ago./13

♣ O que você tem feito pelo planeta Terra??

 

Deixe um comentário!

Adicione seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. You can also subscrever estes comentários via RSS.

Be nice. Keep it clean. Stay on topic. No spam.

Você pode usar essas tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Este é um weblog Gravatar-permitido. Para obter seu próprio avatar-reconhecido, por favor registre em Gravatar.