Falando de Pesca »

6 de novembro de 2019 – 18:15 | 73 views

48-Peixes – 44 – Falando de Pesca

48-66-S- CONHECENDO A PIRARARA
A Pirarara é um peixe que tem sua ocorrência nas bacias dos rios Araguaia – Tocantins e Amazônas, (…)

      Reino – Animalia  ; Filo - Chordata ;  Classe - (…)

Leia a história completa »
Blog
Além da Pesca
iniciantes
Notícias de Pesca
Peixes
Home » Falando de Pesca

47-Falando de Tilápia

Enviado por on 15 de novembro de 2013 – 20:19Nenhum Comentário | 31.111 views

44.00 – FALANDO DE PESCA – 47 - Pesca 

47.05. R - PESCA DA TILÁPIA NO INVERNO                                                                 

È possível pescar bons peixes em pesqueiros, mesmo nos dias de pleno inverno, uma boa opção é a manhosa tilápia (…),   

No inverno elas comem menos mesmo, principalmente se a água estiver fria.

Outro fator importante é que a pescaria se torna mais produtiva no período da tarde, até as 16,0 h mais ou menos, principalmente quando temos um dia de sol, pois, apesar do frio, a água sempre esquenta um pouco, aumentando a atividade dos peixes.

Por sua menor atividade nesta época do ano, elas se encontram em locais mais profundos, mas sempre nas beiradas dos lagos, portanto a pescaria com boia fica pouco produtiva. É importante lembrar que, como elas se encontram mais na beirada, bater o pé no chão ou barulho em excesso acaba com a pescaria.

Neste texto apresentamos duas alternativas  simples de pesca da tilápia nessa época.   

Primeira Alternativa

Usando uma técnica simples, sem boia e sem chumbada. Só com o anzol e a isca na ponta da linha.

Material

Para esse tipo de pesca pode se usar diversos tipos de equipamentos, como molinete carretilha, vara de mão e até a velha e boa vara de bambu.

O ideal é usar um equipamento leve para sentir melhor a fisgada. Sugere-se o uso de uma vara de ação leve comum e molinete proporcional.

Linha

Como para arremessar temos somente o peso da isca, portento deve-se ter uma linha bem fina para fazer um bom arremesso. Recomenda-se de preferência de monofilamento e em cores vivas de 0,14 a até e 0,18. Deve-se atentar o tamanho do peixe do pesqueiro, na ocasião.

Anzol

É aconselhável o uso de um anzol com mola tipo maruseigo, pois esses modelos fixam melhor a massa e evitam que ela se solte no arremesso. Deve-se usar um anzol pequeno 12 a 16, preferencialmente com farpa amassada para poder soltar o peixe se for o caso.

Descanso de Vara

Para a pesca de espera, é aconselhável que se utilize apoiador de vara regulável, pois fica mais fácil determinar a altura da vara, e sentir a fisgada. Nunca se esquecer de um bom salva vara, pois às vezes entra um peixe maior e pode-se perder o equipamento.

Ceva

As tilápias gostam de se alimentar no fundo do lago e permanecer nas imediações onde a comida estiver, portanto uma boa ceva se faz necessário. È aconselhável ração de coelho, pois afunda rapidamente e mantém os peixes no local, pois vai se dissolvendo aos poucos.

Obs. Pergunte se o Pescador anterior a você, não teria cevado antes. Peixe de barriga cheia, não atacará a tua isca.

Pescaria

Depois de montado o equipamento, utilize a sua massa ou compre no próprio pesqueiro.

Não use massa muito dura, se a tilápia sentir resistência, ela não come a isca.

Neste caso faça o arremesso suavemente, para a isca não se soltar.

Lance o anzol e coloque a vara no suporte.

Após o arremesso, podemos deixar a vara no descanso. Uma boa dica é nunca deixar a linha muito esticada. Ela deve ficar com uma “barriga” para o peixe não sentir nenhuma resistência quando carregar a isca.

Deve-se ficar atento ao menor movimento da ponta da vara, Quando perceber um mínimo movimento é sinal que o peixe esta beliscando sua isca.

De forma rápida e firme puxe a vara para cima para tentar a fisgada. Pode ocorrer de se fisgar o peixe pelo rabo pela barriga, devido estar passando por perto.

Nunca fique com a mão na vara, pois o peixe ira perceber e se afastar. Quando for colocar a mão no equipamento o faça para tentar a fisgada, puxando – o com força, e sempre mantenha a vara no apoio da forma horizontal com a ponta próximo á água, aproximadamente uns trinta centímetros dela.

Segunda Alternativa

Basicamente as duas alternativas sugeridas, se assemelham em muito, assim sendo, buscamos não repetir nesta alternativa, os dados comum às duas. 

Pescar tilápia de fundo, sem boia pode ser outro inconveniente, pois elas atuam muito timidamente no inverno e, por vezes, não conseguimos nem sentir suas puxadas, tamanha sutileza com que comem as iscas. O que fazer então? Veja a sugestão a seguir.

Ao invés de boia, use uma pena (aquelas boias finas e compridas). Este equipamento não flutua com o peso da isca, por isso deve ser colocado em um ponto exato da linha, tal que a isca chegue exatamente no fundo sem que a pena afunde ou sobre linha

Para se descobrir a altura correta da pena, amarre uma chumbada um pouco pesada na ponta da linha, e vá deslocando a altura da pena aos poucos, até que ela pare de afundar e fique na posição deitada.  Substitua então o chumbo por um anzol maruzeigo de tamanho adequado e mãos à obra.  

Pescaria

Coloque no anzol uma bola de massa mais ou menos do tamanho de um bago de uva, lance o anzol e deixe afundar lentamente.

Mantenha a vara em um apoio, pois o menor movimento pode estragar tudo neste momento.  Não tente fisgar aos primeiros toques, pois a pena é muito sensível e se mexe até quando o peixe esbarra na isca. Além disto, pequenos puxões e beliscadas representam pequenas tilápias, o que não é o objetivo. 

Espere o momento em que a pena será literalmente carregada para os lados de forma contínua e lenta, para em seguida ficar em pé e afundar.  Este movimento denuncia a presença de tilápias de bom tamanho. Aí é só dar aquela fisgada firme e vigorosa e brigar com a bocuda.

O grande inimigo deste tipo de pesca  é o vento. Sua ausência total é sinal de sucesso , quase certo. Seu aumento vai diminuindo as chances do Pescador. No caso de ventos fortes é bom nem tentar, essa alternativa, pois o movimento causado na pena é totalmente prejudicial a sua ação. 

Nunca fique com a mão na vara, pois o peixe ira perceber e se afastar. Quando for colocar a mão no equipamento o faça para tentar a fisgada, puxando- o com força, e sempre mantenha a vara no apoio da forma horizontal com a ponta próximo á água, aproximadamente uns trinta centímetros dela.

Para qualquer alternativa que se pratique não se deve descartar também a possibilidade de se perder o peixe, por algum motivo, às vezes até imperceptível, porem, não desanime nunca.

Sugestão de Massa para Tilápia

. 500 gramas de ração para peixe moída

. 300 gramas de farinha de mandioca crua

.100 gramas de açúcar cristal

 .100 gramas de polvilho doce

 .50 gramas de achocolatado em pó

 .Misture tudo muito bem até formar um pó de coloração homogênea. Adicione água do próprio lago aos pouco e vá amassando até obter consistência. Esta massa fica muito macia e lisa quando moldada no anzol, portanto cuidado para não deixá-la muito mole, facilitando a roubada da isca.

Fonte

.Fishing News  

.Momento da Pesca                                                               

.Falando de Pesca – (11) – Rev.Nov./13

O que você tem feito pelo planeta Terra??

259

 

Tags:,

Deixe um comentário!

Adicione seu comentário abaixo, ou trackback de seu próprio site. You can also subscrever estes comentários via RSS.

Be nice. Keep it clean. Stay on topic. No spam.

Você pode usar essas tags:
<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Este é um weblog Gravatar-permitido. Para obter seu próprio avatar-reconhecido, por favor registre em Gravatar.